, , ,

Viaje com o filme WANDERERS de Erik Wernquist

 

“Para refletir e sonhar. E quem sabe um dia, explorar e viver em um lugar bem diferente de nosso pequeno ponto azul”.

WANDERERS é um curta-metragem de ficção científica  criado por Erik Wernquist, um artista digital de Estocolmo, Suécia.banner wanderer

O filme é uma visão de futuro que mostra algumas cenas da expansão da humanidade no Sistema Solar. Embora especulativo, o visual do filme foi todo baseados em idéias e conceitos científicos do que o nosso futuro no espaço pode significar, e que sabe um dia.

WANDERERS_enceladus_limb_01Todos os locais retratados no filme são recriações digitais de lugares reais do Sistema Solar, construídos a partir de imagens reais e, quando disponíveis, dados de mapas. Para aqueles interessados em aprender mais dos lugares apresentados no filme, eu recomendo visitar a galeria localizada no site do Erik através do link: www.erikwernquist.com/wanderers/gallery.html.

O título WANDERERS é traduzido como ERRANTES e refere-se, em parte, ao significado original da palavra “planeta”. Em grego clássico, os planetas visíveis no céu foram chamados coletivamente de “planetes aster”, que significa “estrela errante”. Também se refere a nós mesmos, os errantes da Terra. Errantes que um dia, quem sabe, possam dar um grande salto para se tornar Andarilhos do Céu. Errantes que exploram outras estrelas errantes. 😉

A princípio o vídeo não tem nenhuma história aparente, além das que você pode imaginar por si mesmo. A idéia, segundo Erik, era de principalmente mostrar um vislumbre da natureza fantástica e bonita que nos rodeia e que se encontra presente nos planetas.

Ele tomou diversas emprestado diversas idéias e conceitos de autores de ficção científica como, entre outros, Kim Stanley Robinson e Arthur C. Clarke. E visualmente, ele seguiu diversas “dicas” do pintor Chesley Bonestell, um lendário mestre da arte do espaço.

saganMais diretamente, com a devida permissão de Ann Druyan, ele também pegou emprestado a voz do cientista, astrobiólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor e divulgador científico norte-americano Carl Sagan para narrar o filme. O áudio que ele usou são trechos onde Sagan faz  a própria leitura de seu livro “Pálido Ponto Azul: Uma Visão de Futuro Humano no espaço” de 1994 – Random House. O que para mim, fã de Sagan, foi um dos pontos mais emocionantes e inspiradores do filme.

Espero que gostem! Aguardo seus comentários. 😉

 

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Comente aqui suas impressões!