Posts

, , , , , , , , ,

Vampiro: um livro colaborativo!

Extra, extra!

Notícia super importante de hoje! Principalmente pra que você que curte livros nacionais, literatura, projetos colaborativos e VAMPIROS!Deixe_ela_entrar_009_-_Dracula_de_Bram_Stoker.jpg
A Editora Empíreo, em homenagem à data de publicação do clássico Drácula, de Bram Stocker convoca os amantes dos vampiros para apoiarem o seu próximo lançamento, Vampiro: um livro colaborativo, com 45 histórias produzidas por diversos escritores.

Para quem não conhece esse tipo de trabalho, a Empíreo já publicou dois outros projetos nesse molde: O Corvo e Desnamorados.

Financiamento, como funciona isso?

O financiamento acontece pelo site Kickante e qualquer pessoa pode contribuir. Dependendo do valor que cada um colaborar, você pode ganhar diversos prêmios da Editora.

Este projeto é essencialmente sobre LIVROS. Feito por gente que ama a literatura para gente que a ama ainda mais. Então, se você é um leitor apaixonado ou escritor, vai se identificar com tudo o que eles oferecem.

Achou interessante? Quer participar?

Então CLIQUE AQUI, leia o regulamento e participe!

E siga a Editora Empíreo nas redes sociais:
, , , , , , , , , ,

Encontre sua própria voz.

O simples título desse texto representa um dos maiores desafios daqueles que escolheram escrever suas próprias historias. Por isso, vou usar uma das canções favoritas do filme “Moana” como um bom exemplo para refletirmos nesse capítulo.

A letra da música foi criada por Lin-Manuel Miranda e Mark Mancina. Interpretada por Auli’i Cravalho, Mateus Ineleo, Olivia Foai, Opetaia Foa’i e Vai Mahina.

E ela diz:

“Atravessei o horizonte para te encontrar
eu sei o seu nome

Talvez eu tenha roubado o coração de dentro de você
Mas isso não significa que você
Não é quem você é

Você sabe quem você é”

Lindo não? No momento que acontece essa parte da história, Moana descobre que o principal “monstro” da história também é o objetivo que ela estava buscando completar. Salvar a deusa Te Fiti.

Para fazer isso ela antes teve de fazer algumas coisas:

1. Escutar o chamado do mar;
2. Descobrir sua coragem interior;
3. Entender que ela é uma exploradora;
4. Aceitar a sua “missão” e tenha cuidado com os monstros:
5. Encontrar quem poderia ajudá-la e por fim;
6. Encarar o monstro da história.

Esses passos são ótimos resumos quando pensamos no ofício da escrita. Antes de discutirmos caso a caso, devo comentar que o tempo, ou mesmo a ordem, que cada um faz depende apenas dele mesmo. Então vamos conversar mas, nada de ficar comparando o que você fez com o que os outros fizeram. OK?

 

1. Escute o chamado do mar:

O primeiro item, apesar de tudo, acaba sendo o mais fácil. Se você está lendo esse texto sobre reflexões de um escritor ou, se você já leu qualquer outro material sobre processos de escrita, é porque o mar da escrita já te chamou e você está inquieto. Interessado em saber mais, em saber como você pode aplacar essa vontade de colocar suas histórias, todas elas, no papel ou no arquivo de texto de seu computados.

Então olhe para a linha do horizonte, onde as águas terminam e comece a pensar sobre como seria escrever nas suas horas vagas, nas noites mal dormidas, nos momentos que o sonho parece mais forte que você ou mesmo, quando aquela idéia marota não para de aparecer aonde quer que você olhe.

Então aproveite o chamado e escreva, escreva muito. Mas não jogue fora o que criou. Guarde, coloque em uma pasta no fundo da gaveta. E nunca deixe de escrever.

 

2. Descobra sua coragem interior:

Agora vamos a uma das partes mais difíceis. Descobra sua coragem e se prepare para dizer “obrigado” para todas as críticas que você receber. Lembra que você encheu uma gaveta de palavras, contos, poesias e sonhos?

Então. Pra testar sua coragem você precisa colocar em prática a sua capacidade de se arriscar e engolir todo o seu orgulho. Comece mostrando seu texto para algumas pessoas e escute delas suas críticas. Sim. Isso mesmo. Críticas.

Agradeça os elogios, mas lembrem-se que eles só vão te levar pra uma caverna úmida no final da canção. Você precisa encarar as críticas e aprender com elas. Isso porque o mundo é vasto e as oportunidades são maiores.

Alguem não gostou do seu texto. Pergunte porque. Pergunte onde ele mexeria. E depois reflita e estude. Faça de novo. Não pra ele. Mas pra você!

E não se esqueça de agradecer! 😉

 

3. Entenda que você é um(a) explorador(a):

O ser humano é um bicho que pensa que pensa. E por causa disso nós pensamos muito! Pensamos sobre o que existe além do morro, além das cidades, além das estrelas.

E por isso saímos para explorar e buscar encontrar quem nós somos realmente. Então entenda que esse chamado da escrita é o mesmo chamado que impulsiona um pintor, que movimenta os pés de um explorador, que motiva um empreendedor a criar seu negócio.

Nós somos exploradores. E por isso nós sempre vamos buscar novos lugares. Então, como um escritor, explore as possibilidades. Escreva contos, artigos, poesias, histórias Scifi, histórias hot. Misture personagens diferentes de outros escritores. Corte pedaços de outras histórias. Veja porque o diálogo do escritor que você tanto gosta é tão gostoso de ler. E porque a história de outro livro é tão chato pra você.

Entenda quais são as tábuas que formam seu barco. E assim entenderá quais técnicas você mais deve usar para encontrar sua própria voz. Então explorar é preciso, sempre.

 

4. Aceite a sua “missão” e cuidado com os monstros:

Estou usando como exemplo desse item uma das músicas mais divertidas do filme Moana que também é uma das cenas de maior “perigo” para a personagem. Nessa cena Moana encara o monstro Tamatoa. Um caranguejo gigante cheio de si, que adora dizer que ela está errada, que a avó dela mentiu e que ele está certo porque é brilhante.

Então. No caso do caminho da escrita. Se prepare para encontrar muitos Tamatoa’s pelo caminho. Digo isso porque eles se reproduzem com rapidez e sempre podem ser encontrados nas convenções, eventos literários, cursos e grupos de amigos.

Eu estou falando daqueles “amigos” ou parentes que sempre te dão orientações, sempre dizem que você está no caminho errado, que sempre falam que você não tem jeito e que escrever é uma loucura.

“Seja quem você é por dentro
Eu preciso de três palavras para rasgar seu argumento para além
Sua avó mentiu!
eu preferia ser Brilhante”

Então cuidado com quem fala demais, brilha demais e na realidade é um monstro. Mantenha sua visão, siga a missão de ser escritor e continue.

 

5. Encontre quem possa te ajudar:

Esse parte é óbvia mas é difícil.

Então pense agora. Quem é o escritor, profissional ou editor que pode te ajudar? Ajudar com dicas, com novas leituras, com técnicas pra você melhorar?

Pode ser um amigo, um parente ou mesmo um autor de livro. Encontre, escute e aproveite suas dicas.

Mas lembre-se. O Caminho é seu. E só você pode encarar os seus desafios.

 

6. Encare o verdadeiro monstro da história:

Por mais difícil que seja, você deve encarar que o verdadeiro monstro está dentro de você.

Ele é a sua falta de coragem. Seus medos de não saber escrever. Sua mania de comparar outros escritores com você. Sua preguiça.

Agora, de verdade. Pense e responsa profundamente. Quem é você?

Saber responder essa pergunta é o maior desafio que existe. É ele que impele você na busca de ser um escritor. É ele que molda suas escolhas.

Aprenda a domar o monstro. Transforme-se. Escreva e por fim. Descubra que a sua voz muda a medida que você cresce.

Você já é um escritor. Sempre foi.

Você só precisa sentar a bunda na cadeira e escrever. Da maneira errada ou certa. Aprendendo com os erros, fugindo dos monstros e explorando as possibilidades.

Então escute o mar, busque sua voz.

Escreva…

Esse artigo faz parte de um livro que está sendo desenvolvido pelo escritor JBAlves.
Para acessar os capítulos prévios acesse gratuitamente o Wattpad CLICANDO AQUI.

, , , , , , , , , , ,

Saiba mais sobre o Criador de Mundos na Campus Party (CPBR10)

 

Entre os dias 31 de janeiro e 5 de fevereiro, em São Paulo acontecerá o evento Campus Party Brasil (CPBR10) no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Essa será a 10ª edição no Brasil e a organização promete que esse evento será muito especial pois reunirá os mais diversos conteúdos relacionados com a tecnologia, ciência e cultura Geek.

Todos os participantes poderão desfrutar de atividades incríveis e compartilhar experiências, sendo uma ótima oportunidade para empreendedores e geeks apaixonados por novidades, informação e inovações tecnológicas.

E quando se fala em Geeks, é claro, nós já lembramos da Rádio Geek, que será nada menos que a rádio oficial da #CPBR10, com um estande próprio e 24h de programação personalizada de palestras, oficinas, workshops, entrevistas, brincadeiras e muito conteúdo sendo ofertada aos campuseiros!

E a e equipe do programa Criador de Mundos também não fica fora disso. Estaremos presentes todos os dias oferecendo as seguintes atividades para todos os participantes:

Dia 31/01, terça-feira
16h – 17h Palestra Universo RPG na Literatura

· Amanda Reznor

· Simone O. Marques

· John Bogéa

Influência do universo RPG nos livros e games.
18h – 19h Palestra Ficção Científica na Literatura · Filipe Larêdo

· JB Alves

· Hugo Vera

Abordagem de livros hacker como Neuromancer, Monalisa Overdrive, entre outros.
Dia 01/02, quarta-feira
09h – 10h Ao Vivo Programa Especial Harry Potter · Amanda Reznor

· Renata Ventura

· Grupo Potterish

Retrospectiva do mundo HP, atuação do grupo Potterish no Brasil, livro A Arma Escarlate da autora Renata Ventura, Fan-fics e muito mais.
Dia 02/02, quinta-feira
10h – 11h Palestra Senhor dos Anéis e Hobbit – Um universo transmídia em Tolkien · Filipe Larêdo

· Dr. Diego Klautau

Palestra com o especialista Klautau sobre o processo transmídia nas produções de Tolkien, abrangendo Senhor dos Anéis e o Hobbit.
12h – 13h Ao Vivo Especial Criador de Mundos: Desenvolvimento de mundos transmídias · JB Alves

· Christopher Kastensmidt

Palestra sobre transmídia e storytelling nos mundos ficcionais de Starlit Adventures e A Bandeira do Elefante e da Arara.
18h – 19h Ao Vivo Programa Criador de Mundos · Amanda Reznor

· Filipe Larêdo

· JB Alves

· Oscar Nestarez

Livros e filmes sobre Sci-Fi e Tecnologia
Dia 03/02, sexta-feira
12h – 13h Ao Vivo Especial Criador de Mundos · Antonio Carlos S. Gomes

· Ivelise Fortim

· JB Alves

· Louise de França

· Luiz Sakuda

· Sonia Maria Bibe Luyten

Pré-Lançamento do livro Mangás, Animes e a Psicologia
14h – 15h Ao Vivo Ficção de horror: dos livros aos games · André Vianco

· Oscar Nestarez

· Vince Vader

Bate papo/discussão abrangente sobre transição da ficção de horror entre livros e games.
17h – 18h Palestra Literatura Fantástica no Brasil · Eduardo Spohr

· Erick Sama

· Filipe Larêdo

Discussão com os mestres Spohr e Erick Sama sobre a Literatura Fantástica no Brasil
20h – 21h Palestra Mangás, animes e a psicologia · Ivelise Fortim

· Erick Sama

· JB Alves

Discussão sobre a cultura do Mangá através dos olhos da psicologia
Dia 04/02, sábado
10h – 12h Workshop Oficina Steampunk

· Amanda Reznor

· Maicon M Minhoto

· Lili Angelika

Oficina de criação e dicas de material steampunk.

 


Na imagem, da esquerda para a direita, Amanda Reznor, Filipe Larêdo, JB Alves e Oscar Nestarez, apresentadores do Criador de Mundos que estarão presentes na Campus Party.

Passem no estande da Rádio Geek pra gente se conhecer e venham participar de todas as atividades que preparamos com muito carinho!

Para saber mais sobre o que a Rádio Geek estará fazendo na Campus acesse AQUI!

, , , ,

Conheça mais sobre o livro “Filhos da Lua: O Legado” de Marcella Rossetti

Mitologia, personagens carismáticos, fortes emoções e uma aventura sobre lobisomens no Brasil é a receita do sucesso da autora.

Na semana que vem (dia 10/11), durante o programa de Rádio do Criador de Mundos, entrevistaremos a autora Marcella Rossetti responsável pelo livro “Filhos da Lua: O Legado”, um livro que alcançou a lista dos 100 mais vendidos em todas as categorias da Amazon e tem permanecido entre os mais vendidos em Fantasia Urbana, categoria na qual ele é o e-book mais bem avaliado pelos leitores (+60 avaliações, todas positivas).

Esse romance recentemente ganhou uma edição impressa e em qualidade de luxo pela AVEC EDITORA, editora nacional criada em 2014 para trazer o melhor da literatura, principalmente da literatura fantástica, para seus leitores.

Logo

http://aveceditora.com.br/

“A sensação é a de um sonho sendo realizado. A Amazon abriu as portas para meu romance ser conhecido e a Avec Editora acreditou no potencial da obra para o grande público. Entretanto, a coisa mais valiosa na Amazon para mim são as avaliações carinhosas dos leitores”, comenta Marcella.

Também professora, a escritora diz ter encontrado na sala de aula uma fonte de rica de inspiração para o universo de “Filhos da Lua”.

Com certeza o livro não seria o mesmo sem a presença de meus alunos em minha vida. Também peguei deles algumas qualidades físicas e personalidades. Eles sabem disso e ficaram muito felizes. Talvez tenha sido isso que tenha deixado os personagens verdadeiros e carismáticos para os leitores. Eles foram inspirados em jovens reais. ”, conta.

Mas do que se trata Filhos da Lua?

Ele trata sobre um dos mitos mais famosos da literatura fantástica. Lobisomens! 😉

No livro, Bianca Bley é uma jovem atormentada pelos pesadelos da morte da mãe. Os sonhos são carregados de imagens de presas e garras. Ela imaginou que a solução seria mudar-se para outra cidade. O que só fez piorar tudo. A menina conhece Lucas e parece haver um mistério envolvendo esse belo rapaz.  No primeiro dia na nova escola estranhas sensações a invadiram e ela simplesmente desmaiou aos pés dele.

O que Bianca não tinha ideia é que o encontro com o Lucas e seus companheiros desencadearia uma série de acontecimentos capazes de revelar os mistérios mais profundos de sua vida. Mistérios que revelariam um novo e perigoso mundo e sua vida se transformaria completamente.

Além da sala de aula, fontes como jogos de RPG, literatura e filmes foram vitais na elaboração do elogiado universo de “Filhos da Lua”.

Quatro coisas têm encantado os leitores: o universo criado, os personagens carismáticos, as emoções despertadas neles durante a leitura e o cenário nacional. A mitologia no livro e seu universo são completamente diferentes daquela que o leitor está acostumado e isso o surpreende imeditamente, fazendo-o querer descobrir cada vez mais sobre a mitologia em cada página. Os personagens aproximam o leitor da história e são os responsáveis por despertar neles diferentes emoções. E o cenário nacional é sempre citado como um ponto alto da leitura pelos fãs. Eles adoram reconhecer as cidades e os lugares”, salienta Marcella.

Também segundo ela, os leitores que gostam de destrinchar as regras de universos fantásticos terão horas de diversão com a leitura desse primeiro volume da série:

marcella-rossetti“Os Karibakis são uma raça guerreira dividida em cinco linhagens. Cada uma com seus dons. Alguns deles possuem a marca do legado nas costas, indicando a pureza do sangue. A quinta linhagem, a dos Farejadores, foi extinta há 25 anos durante a Noite da Aniquilação e desde então os Karibakis estão perdendo a guerra contra seus inimigos mortais. ”

Marcella instiga a curiosidade dos amantes de literatura fantástica destacando que esse é apenas um resumo. A mitologia completa apresentada no primeiro livro “é apenas a ponta do iceberg que será mostrado nas próximas obras”.

A autora procurou por técnicas de escritas e estudou diversos livros aclamados pelos fãs. Durante o programa de rádio discutiremos com a autora as técnicas e influências no seu processo de produção. Não deixem de participar e mandar suas dúvidas e curiosidades!

“Os leitores ainda vão se surpreender muito com o mundo dos Trocadores de Pele”, sugere a autora.

Gostou? Então não deixe de escutar o programa Criador de Mundos na Rádio Geek hoje (dia 03/11) as 18hs. Acesse e participe! E se quiser ganhar um livro participe do nosso concurso cultural clicando AQUI!

 

PARA MAIS ACESSE:
Site: www.filhosdalua.com
Amazon: http://amzn.to/1Hv7e4o
Facebook: fb.com/sagafilhosdalua

FICHA DO LIVRO:
ISBN: 978-85-67901-52-7
PREÇO DE CAPA: R$ 49,90
Formato: 16×23 cm, 488 páginas
Papel: lux cream 70g

CATEGORIA
Fantasia Urbana
Lobisomens

PÚBLICO / IDADE
Juvenil/ Jovem Adulto
Autor: Marcella Rossetti
Editor: Artur Vecchi
Diagramação: Marina Ávila
Ilustração de Capa: Talita Persi

, , , ,

Porque precisamos da Imaginação?

imaginar
verbo
  1. 1.
    transitivo direto
    formar imagem mental de (algo não presente); idear.
    “i. situações românticas”
  2. 2.
    transitivo direto
    descobrir, criar (algo abstrato); idear, inventar.
    “i. um enredo”

 

Imaginar é ser capaz de conceber algo em nossas mentes, de formar novas imagens e sensações bem lá no fundo. Imagens que não tem referência e que não são percebidas através dos nossos sentidos. E apesar de todos serem capazes de imaginar algo, poucas vezes pensamos sobre isso. Então, aqui vai a pergunta. Você sabe porque precisamos da imaginação? Leia mais

, , , , , , ,

Reflexões sobre a inspiração.

macaquinhos2

A expressão significa estar em constante ebulição, em permanente processo de criação.

Desde pequeno eu sempre tive muitas idéias. Para algumas pessoas, eu era um garoto inspirado, cheio de idéias. Para outros, eu sofria de um excesso de imaginação e era do tipo “Ai! Cuidado que aquele menino é hiperativo”. 😛

Eu com certeza me diverti muito quando criança porque com a imaginação tudo se transformava em algo fantástico e estranho mas, acho que dei muito trabalho para meus pais também. Hehe!

Hoje em dia, quando penso nas inúmeras aventuras que vivenciei através dos livros e brincadeiras de infância, eu concordo que a melhor expressão que poderia me definir é aquela usada por Ziraldo no seu livro sobre o Menino Maluquinho. Eu sempre tive muitos “macaquinhos no sótão”.

Ou seja, dentro da minha cabeça, eu sempre tive muitas idéias e personagens que faziam o que queriam, do jeito que queriam, sem que eu tivesse muito controle sobre eles.

Atualmente, trabalhando com a área de criação e dedicando bastante tempo para desenvolver meus textos, muitas vezes eu paro e fico relembrando todas essas idéias e pensando sobre a inspiração e principalmente, porque nem sempre uma boa ideia significa desenvolver uma boa história?

Esse texto é apenas uma parte dessa reflexão e surgiu depois de uma conversa que tive com alguns escritores que estão participando do NaNoWriMo 2015 onde apresento quatro pontos que envolvem o dinâmico processo da inspiração.

Leia mais

, , , , ,

Anunciada a Terceira edição do Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira!

banner_hydra3

A revista norte-americana Orson Scott Card’s Intergalactic Medicine Show (IGMS) e os websites brasileiros A Bandeira do Elefante e da Arara e Universo Insônia se uniram mais uma vez para levar o melhor da ficção especulativa brasileira para os leitores de língua inglesa do mundo inteiro, através da terceira edição do Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira. Leia mais

, , ,

O quão alto? O quão longe?

A história da humanidade é forjada através dos erros e conquistas de todos os seres humanos.

Enquanto alguns dizem “Isso é impossível!” outros perguntam “Vamos fazer de novo?”.

O quão alto? O quão longe? Essa é a pergunta que sempre me motivou e sempre vai me motivar. Espero que todos tenham a mesma visão, cada um no sua área e na sua especialidade.

Esse pensamento deveria guiar todos os nossos pensamentos…

Leia mais

, , , , ,

Escrevendo para as novas tecnologias – Parte 1:

Esse texto faz parte de um artigo constituído de 8 partes, todo ele foi expandido e atualizado a partir de uma palestra que realizei durante o evento LIVROS EM PAUTA que aconteceu no dia 30 de maio de 2015.

O papel do escritor na criação dos Games.

Quando pensamos no trabalho de um escritor em um livro ou um filme, é mais fácil entender o que ele faz. No entanto, quando pensamos no trabalho de um escritor durante a produção de um jogo de computador as coisas se tornam um pouco mais nubladas. Sendo assim, reflita sobre a questão antes de continuar lendo o texto.

poesia

Qual é o papel do escritor na produção de um Game?

Essa pergunta pode parecer difícil mas a responsabilidade fundamental para um escritor continua sendo a de criar através da escrita. Ou seja, ele é o responsável por preencher uma lacuna dentro da produção de um jogo que, francamente, outros não podem preencher. Leia mais

, , , ,

O dia em que visitei a ilustre residência do detetive Sherlock Holmes.

SOBRE O ESCRITOR:

Na semana passada, no dia 22 de maio de 2015 aconteceu o 156 º aniversário do nascimento de Arthur Conan Doyle. Nascido em Edimburgo no dia 22 de maio de 1859 ele faleceu em Crowborough no dia 7 de julho de 1930.

Ele foi um escritor e médico britânico, nascido na Escócia cujos trabalhos incluem histórias de ficção científica, novelas históricas, peças e romances, poesias e obras de não-ficção. Considerado um grande escritor no campo da literatura criminal ele ficou mundialmente conhecido por criar o grande detetive Sherlock Holmes! 

O grande investigador Sherlock Holmes apareceu pela primeira vez no romance Um estudo em Vermelho editado e publicado originalmente pela revista Beeton’s Christmas Annual, em Novembro de 1887. Esse incrível detetive ficou famoso por utilizar como arma principal a metodologia científica e a lógica dedutiva para assim resolver diversos crimes e mistérios.20150524_224935

O escritor fez dele um personagem carismático e astuto e até hoje ele é considerado um dos mais atraentes personagens dos
romances policiais por sua habilidade para desvendar crimes considerados por muitos, até mesmo para Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres), como insolúveis.

Ainda hoje o personagem habita o imaginário de todos e já foi representado em uma série de mídias.  especificamente Arthur Conan Doyle escreveu cerca de 56 contos e 4 romances.

20150524_224736

Gostaria de indicar um grande detetive. 😉

Leia mais