Sandman…

“Com um punhado de areia, eu mostrei o terror a vocês”.

Em 2008 completou 20 anos que se deu início a uma saga Onirica e aclamada pelo mundo todo. Uma série que deixa muitas saudades, e que ainda consegue atrair novos fãs no mundo todo. Uma obra que merece toda a consagração dos fãs e da crítica especializada, pois nunca na história dos quadrinhos, houve uma saga tão complexa e tão belamente produzida.

Imaginem uma série de quadrinhos considerado literatura. Aclamada pela crítica e por grandes escritores tais como os mestres Clive Barker e Stephen King. Ganhadora do Oscar dos Quadrinhos, o prêmio Eisner na categoria Melhor Escritor por quatro anos seguidos, entre 1991 e 1994. Ganhador dos prêmios de Melhor Série em 1991, 1992 e 1993, além do prêmio de Melhor Reimpressão de Graphic Novel em 1991 e Melhor Graphic Novel de 1993. Que teve seu escritor agraciado pelo prêmio Harvey de Melhor Escritor em 1990 e 1991 e de Melhor Série em 1992. E por fim imagine que uma de suas histórias ganhou o World Fantasy Award, de Melhor História Curta. A primeira vez que abriram o precedente de um grande prêmio literário dado a uma revista em quadrinhos.

Sandman, do escritor inglês Neil Gaiman, é considerado por muitos como a melhor e mais importante série mensal de quadrinhos já feita nas últimas décadas. Uma série que mostra um complexo universo habitado por criaturas e deuses, nuances de cinza e interpretações diversas que caminham e sofrem, sentem em amam assim como os nossos sonhos.

Sandman foi publicado no Brasil na íntegra pela Editora Globo entre 1989 e 1999. Em 1999, a editora Metal Pesado/Tudo em Quadrinhos resolveu reeditar a série, mas concluiu apenas o primeiro arco. A republicação foi assumida pela editora Brainstore, que tinha como sócio proprietário e editor-chefe um Londrinense, o Sr. Eloyr Pacheco. Atualmente, é a editora Conrad que publica toda a saga de Sandman através de encadernados de luxo com mais de 200 páginas para o deleite de todos.

A saga de Sandman conta a saga dos Perpétuos, sete entidades que existem apenas para manter o equilíbrio do Universo. São eles: Destino, Morte, Sonho, Destruição, as gêmeas Desejo e Desespero e Delírio, que um dia foi Deleite.

Através de histórias complexas, extensas referências ao folclore, mitologia, psicologia, um visual e um contexto baseado no movimento Dark Inglês do início da década passada, Sandman faz uma viagem dentro dos recantos mais belos e obscuros da mente humana.

Enfim, Sandman é um conto de fadas para adultos que deve ser conhecido e relido após 20 anos de sucesso mundial. Não deixe de conferir!

(Coluna escrita para a Revista Estação – Outono 2004 – Edição 04)