Quem sou eu? Sou um vampiro surfando na web…

Esse post pode parecer estranho inicialmente, mas peço a você, leitor, que leia até o fim e tente entender o que estou apresentando. Meu nome é Abnara, e enquanto teclo em meu computador, espero que você aí, do outro lado, compreenda o que estou escrevendo. Não sou apenas um
internauta, sou também um vampiro.

Segundo diversas lendas, o vampiro é um ente mitológico que se alimenta de sangue humano. Criaturas com aparência humana que saem de suas tumbas de noite para sugar o sangue dos seres vivos, mordendo seus pescoços ou estômagos, para depois regressar para seus cemitérios.

Eu sinceramente não entendo isso. Primeiro não sou uma entidade mitológica, sinto e existo como todo mundo. Tenho um corpo que ocupa espaço e uma mente que pensa e sonha.

Segundo, não gosto de sangue humano, gosto sim das festas, músicas e de toda companhia humana que consigo durante minhas noites. O sangue, humano ou não, é apenas um complemento de minha alimentação, que consiste basicamente em sentimentos, emoções fortes, ou seja, muita energia psíquica.

Apesar desse tipo de alimento ser um pouco diferente. Se alguma vez existiu no mundo uma história provada e digna de crédito, é a nossa, a dos Vampiros. Existem diversos documentos, notícias, relatos de homens notáveis e respeitados tal como cirurgiões, religiosos e advogados que falam sobre nós. A prova jurídica abarca tudo. Porque será então que muitas pessoas não acreditam na existência de nós, os Vampiros?

Somos criaturas incompreendidas, num mundo que foca a lógica e a ciência, ainda nos consideram mitos, além de nos compararem com as piores instituições humanas. Odeio a Expressão “políticos sangue sugas”, por exemplo. Até o sociólogo Karl Marx denegriu nossa imagem quando disse que o capitalismo é trabalho morto que, como um vampiro, vive somente de sugar o trabalho vivo e, quanto mais vive, mais trabalho suga!

Apesar de sermos comuns na literatura, em diversos livros de contos de horror e mitologia, existem tantas versões que falam de nós quanto os pensamentos e medos do ser humano. O único ponto comum que falam de nós é sobre precisarmos de sangue e sobre não poder sair na luz do Sol, de se transformar em morcego e de poder ser posto em torpor temporário por uma estaca no coração.

Concordo em partes sobre a questão do sangue, mas sobre sair na luz do sol não temos nenhum problema. Mas somos criaturas noturnas, gostamos de ficar acordados à noite. O problema que temos com a luz do sol é o mesmo que os humanos tem com a luz da lua. Vocês devem ficar com muito sono depois de trabalhar o dia todo e sair à meia-noite, acontece o mesmo comigo.

E uma estaca no coração não deixa um vampiro em torpor! Ele mata o vampiro do mesmo jeito que mata seres humanos, ou qualquer outro tipo de criatura. Imagine uma perna de cadeira, afiada, dentro do peito de alguém. Não tem sobrenatural que resista!

Acho divertido como os escritores nos descrevem, parece que a maioria de nós não passa de amantes indecorosos e sedutores. Eu prefiro uma vida sossegada, normalmente com apenas uma companheira. Acho que muitos pensam assim porque nos confundem com os filhos de Lilith, os Incubos. Eles realmente não prestam e são muitos promíscuos.

Eles não são vampiros, são criaturas feias e mesquinhas, com aparência de goblins deformados que pouco se assemelham com os seres humanos. São capazes de controlar animais daninhos e noturnos, podendo inclusive desaparecer numa névoa que possui um poder de sedução muito forte e inoxicante. São eles que têm medo de objetos sagrados, por serem muito supersticiosos.

Além disso, vocês nos confundem com outras criaturas que andam nas florestas, eu odeio florestas! Principalmente porque existem diversas criaturas que se transformam nas noites de lua cheia em lobos e que não gostam de nenhuma companhia.

Esse post é uma de minhas novas tentativas de promover a existência dos vampiros. Quero muito que toda a humanidade através de blogs, sites e textos nos reconheçam e aceitem nossa existência. Acredito que agora, na era da informação, iremos conseguir nosso reconhecimento.

Agradeço a meus amigos humanos por divulgarem esse post. E repito, sou apenas um vampiro surfando na web. Quem sabe possamos nos encontrar uma noite dessas para tomar um drink!

Novos posts serão criados em breve, sendo assim, como dizem na minha terra natal
Να είναι σε ειρήνη στις γωνίες της νύχτας.

(Esse conto foi desenvolvido para participar de uma série de concursos da internet. Qualquer informação semelhante que envolva pessoas, lugares ou nomes não passa de mera coincidência.)


Creative Commons License
Quem sou eu? Sou um vampiro surfando na web… by JBAlves is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

12 respostas
  1. Anonymous
    Anonymous says:

    eu acredito em vc pareçe loucura mas as vezes sinto a presença de vampiros , sei la e estranho mas me pareçe horrivel nao e . ser um …
    me responda queria saber mais!

  2. Anonymous
    Anonymous says:

    Lunáticos…
    O autor ainda destaca no fim “Esse conto foi desenvolvido…”.

  3. Anonymous
    Anonymous says:

    Sempre ouvi dizer , que os vampiros nao existiam.
    Mas contudo , tbem ja ouvi que um vampiro que nao tem aquela vontade de beber sangue é um DAMPIRO.
    Ou seja , dampiro é filho de mae ou pai humano & o pai ou a mae é uma vampira/vampiro.

  4. Anonymous
    Anonymous says:

    eu tb sinto vontade de comer ou chupar sang , odeio aluz do sool , ela nao me mata mas nao vou muito com ele , embora muitos nao acreditem eu acredito em vampisos e em libsomens, popois nao a nada q prove o contrario, help meeeeeee

  5. diego
    diego says:

    rsrsrs vc nao entendestes msm
    acha q um vampiro conhece a modernidade???
    perdão pelas palavras arrogantes mas vc pede muito tempo
    e é um poser!!!!

  6. Juliano Barbosa Alves (J.B.Alves)
    Juliano Barbosa Alves (J.B.Alves) says:

    Caros leitores. Como já comentei: “Esse conto foi desenvolvido para participar de uma série de concursos da internet. Qualquer informação semelhante que envolva pessoas, lugares ou nomes não passa de mera coincidência.”

  7. Anonymous
    Anonymous says:

    eu nao sei se sou uma vampira mais eu nao como mais verdura e nem quero beber agua eu so quero comer carnes com sangues e o sol me deixa com dor de cabeça e dor nos olhos eu seinto vountade de beber sangue de um ser humano eu nao sei o que esta aconteçendo comigo mais e eu nao mais me controlar eu precisso me alimentar mais minha familia so come carne sem sangue eu nao conssigo comer eu so quero sangue eu nao mais o que fazer mais eu so quero ajuda pra saber se sou uma vampira e eu nao estou inventando eu re almente precisso de ajuda eu falei pra minha familia e eles me chamarao de doida eu nao tenho ninguem pra mim ajudar

  8. Paginas de um diario
    Paginas de um diario says:

    Muito legal isso de querer ser respeitado! Mais o ser humano ou melhor nós seres humanos não sabemos nem respeitar a nos mesmos (ta ai ai tanto preconceito com raça, crença, cor…), mas quero que saiba que eu respeito os vampiros sim principalmente depois que conheci um muito legal! Adoraria te conhecer ta ai meu msn paginasdeumdiarios2@hotmail.com 😉

Os comentários estão fechados.