Quando os Marcianos destruíram a páscoa.

Esse conto surgiu por causa de um desafio proposto pela Irmandade Literatvs no Wattpad. A regra era a de escrever uma história com no máximo 1000 palavras usando as palavras páscoa, chocolate, feriado e mistério.

No meu caso, eu fiquei pensando em como algum de nossos costumes poderiam ser interpretados por seres estranhos aos seres humanos, juntei com o tema dos marcianos e acabou saindo uma história diferente, crítica e bem humorada.

Se você tem uma conta no Wattpad, clique AQUI.
Senão, clique abaixo e leia por aqui mesmo! 😉

Xocolãtl!

 

– Eles voltaram a produzir xocolātl!

Xocolātl?

– Sim, eles voltaram a produzir. Só que agora em um formato ovóide.

– Ovóide?

– Não há nenhuma dúvida sobre isso. Nossos sensores captaram vários desses objetos pendurados em grandes armazéns localizados em um dos seus maiores continentes. E eles são feitos completamente de Xocolātl!

– Isso é impossível. Essa receita foi desenvolvida à milhares de anos durante a escravidão dos Olmecas. Se me lembro bem nenhum deles ficou vivo pra contar o segredo, não foi?

– Pelo visto alguns devem ter escapado e agora, parece que a receita se espalhou e eles produzem nosso produto no planeta inteiro!

– No planeta inteiro? E eles usam pra que toda essa produção?

– Eles usa como alimento. É isso que eu estou tentando explicar. Eles usam o Xocolātl principalmente como alimento!

– Isso é ridículo. Como é que aqueles seres sem tecnologia conseguiram criar algo tão raro e valioso? Você está me pedindo para aceitar que eles evoluíram e tem tecnologia.

– Eu não preciso pedir nada, eu estou afirmando. Em apenas alguns milênios toda aquela raça começou a criar tecnologia e se tornou uma comunidade global.

– Aff, isso deve ser má influência daqueles habitantes de Alpha Centaury. Eu te disse que emprestar o planeta para eles realizarem algumas experiências ia ser uma má ideia.

– Eu sei. E nós só ficamos sabendo dessa evolução porque encontramos um artefato deles passeando no nosso quintal! Quase esmaguei pensando que era um daqueles bichos de Júpiter.

– Isso não importa. Volte ao que interessa! Fale sobre o que eles estão fazendo.

– Resumindo, eles estão espalhados por todo o planeta, produzindo tecnologia e criando variações e mais variações de Xocolātl. Nossas câmeras já identificaram milhares de variações, empacotadas das mais diferentes formas e sabores. Você tem ideia do que isso vai fazer com o preço de nosso produto quando o resto da galáxia descobrir?

– Poupe-me dessas teorias misteriosas. Ok, talvez eles estejam produzindo Xocolātl de maneiras novas e deliciosas. Mas isso já aconteceu com os habitantes originais do primeiro planeta desse sistema. Lembra do que fizemos com eles?

– Sim. Nós retiramos os grãos que usávamos nas plantações e depois modificamos toda a composição de sua atmosfera até o planeta se transformar em um lugar inviável a vida. Um processo normal e abençoado  pelo grande livro do comércio galáctico. Inclusive fico arrepiado quando o chefe canta aquela parte sobre “acabar com a concorrência faz parte do processo de evolução”.

– Verdade, eu também fico! Então, o que faremos? Acho que essa variação deveria ser analisada antes. Se eles realmente criaram algo bom, então precisamos comercializar com o resto dos nossos clientes. Tenho certeza que os Boblos e os Yolollatris poderiam comprar. Eles compram qualquer coisa!

– Ok, concordo que realmente podemos aproveitar a situação e criar um novo mercado. Só que, para isso, precisaremos invadir aquele planeta e tomar todo o Xocolātl à força.

– É por isso que eu sou o primeiro e você não passa de um executor… você sabe quais são os custos envolvidos em uma guerra? Além disso, não quero acabar com o Alignah dos ovos de Xocolātl.

– Não estou entendendo. Você está se recusando a lidar com aqueles seres da maneira tradicional. É isso?

– Pense, meu pequeno, pense! Estou dizendo que iremos acabar com eles depois que a fonte de Xocolātl acabar!

– Ok. Como você foi o primeiro esporo, eu aceito sua palavra. Agora me explique seus planos.

– Primeiro iremos introduzir alguns autômatos de carne em locais estratégicos daquele planeta, depois iremos influenciar a sociedade e criar um valor ainda maior nos ovóides de Xocolātl. Por fim, iremos transportar a melhor parte de sua carga para alguns mercados estratégicos. Assim já testamos a aceitação de nossos novos produtos.

– Sim, isso deve funcionar! Os autômatos de carne poderiam ser programados inclusive para atuar em outros setores! Alguns poderiam cuidar do comércio. Da política. E até da religião atual. Na época dos Olmecas nós introduzimos aquela ideia de que os deuses queriam sacrifícios e que eles teriam de arrancar o coração. Foi a maneira mais efetiva para evitar uma revolta ou apagar alguma evidência.

– Obrigado. Finalmente. Sim. Que bom que você agora conseguiu entender o que devemos fazer. Lembre-se das regras. “Se eles podem trabalhar pra você de graça. Aceite!” e “Explorar um novo mercado é mais barato do que destruir uma oportunidade”.

– Então, você agora só precisa descobrir como influenciar cada um deles.

– Eu já tenho essa resposta. Estou conferindo o banco de dados que os Alpha Centaurianos deixaram e os habitantes do terceiro planeta realmente não tem muita noção do que significa segredo. Eles estão espalhando milhares de informações sobre sua sociedade através de ondas de rádio e constructos rudimentares que sobrevoam sua atmosfera a todo o momento.

– Achou algo que poderíamos usar?

– Sim. Me parece que eles se importam muito com uma coisa chamada de petróleo. Além disso, eles criaram uma coisa chamada de política partidária. Se juntarmos isso com um pouco de capitalismo, páscoa, guerra de influências, feriado e um tal de Big Brother Brasil, acho que teremos um bom plano inicial de ataque.

– Credo! Estou vendo as imagens que me mandou e parece que realmente precisamos retirar o Xocolātl de lá. Eles não merecem uma iguaria tão importante dentre de uma sociedade tão inexperiente.

– Realmente grande esporo! Realmente! Vou dar início ao plano de expansão comercial agora. Em pouco tempo nós iremos destruir a páscoa deles e ainda assim, eles irão produzir mais e mais Xocolātl para nossos clientes. Vida longa ao grandes comerciantes!

– Sim. Vida longa aos senhores do Xocolātl!

NOTA DO AUTOR: Todas as imagens utilizadas nesse conto foram retiradas dos sites da Nasa, do Wikipedia e do Devian Art. Em especial, dou destaque ao trabalho de Carlos Soriano. Para mais acesse http://carloshurtadosoriano.deviantart.com/

Gostou? Então deixe seu like e me envie seus comentários.
Desejo a todos uma Feliz Páscoa! 😉 
2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Comente aqui suas impressões!