A vida é curta ou longa demais?

Esse título surgiu num pensamento célere que passou por minha cabeça enquanto lia um livro sobre psicologia ao mesmo tempo que escutava uma família discutindo sobre o mal tratamento. Tudo isso dentro de uma sala de espera de um Hospital particular.
A razão de estar no hospital não importa, mas importa apenas uma reflexão que colocarei abaixo. Para os acordados reflexão e para os sonecas pesadelo!

“Quanto mais a vida passa, mais nos aproximamos de nossa derradeira partida desta esfera de realidade. Para qual mundo de sonhos caminharemos não posso refletir ou identificar, só sei que até agora ninguém voltou para reclamar destas paragens que enchem tanto nossos livros religiosos, de filosofia ou mesmo de biologia.

Só sei que o importante é como se vive ESSA vida, um dia de cada vez, tendo cuidado com o que se faz e sente, visando antes de tudo acumular sabedoria ao invés de coisas.

Mas o ruim realmente é o companheirismo de quem fica ao nosso lado. Que ainda não envelheceu o bastante ou adoeceu o bastante para entender que esperar quinze minutos ou mesmo três horas é tempo demais.

Se não podem nos ajudar a aguardar a passagem do tempo com dignidade, como podem dizer a todos, através de chefes, meios de comunicação ou mesmo políticos que tudo está bem?

Como podem aceitar a ilusão que nosso sistema de saúde ainda funciona, quando cada vez mais, quando nos olhamos abaixo da mortalha ele está mais e mais apodrecido.

Reflita isso então antes de ser sua vez na fila de espera de um hospital, pois se você não conseguir sentir a passagem do tempo, quem sabe possa observar nas olheras das funcionárias ou no esgar cansado do médico de plantão que algo está faltando…

… algo que no mínimo tem a ver com vergonha e decência. Por todos nós. Sejamos o futuro ou o passado deste país.”